Guia APLV

APLV: a importância da nutrição adequada durante o tratamento

Ausência de tratamento ou o manejo inadequado pode gerar dificuldade no ganho de peso, desaceleração ou estagnação na curva de crescimento e dificuldades alimentares

Quem cuida de uma criança com alergia ao leite de vaca sabe o quanto a condição é incômoda. Se antes do diagnóstico são os sintomas que deixam todos aflitos, após o diagnóstico é a alimentação que se torna o centro das preocupações.

A dieta e a nutrição adequada têm papel fundamental no tratamento da alergia alimentar. As crianças com APLV podem sofrer diversas consequências nutricionais, dependendo da duração da dieta e da quantidade de alimentos excluídos. Por isso, a intervenção nutricional, quando adequadamente planejada e monitorada, é o único meio eficaz de garantir o desenvolvimento correto.

Mas o que efetivamente pode ocorrer com a criança alérgica ao leite de vaca quando a condição não é adequadamente tratada?

Problemas de crescimento e outras consequências

A APLV não tratada de forma eficaz, pode resultar na má absorção de energia, proteína e outros nutrientes essenciais pelo corpo. Quando há diarreia crônica, um dos sintomas recorrentes da alergia ao leite de vaca, as vilosidades intestinais podem ser prejudicadas e prejudicar a digestão e a absorção dessas substâncias vitais. A alergia não tratada também pode afetar o apetite, gerando perda de peso e dificuldades de crescimento.

Um estudo recente publicado este ano (2019) com crianças de 4 anos com APLV mostrou que este grupo com APLV apresentou altura para idade 26% menor vs grupo controle, que não tinha APLV.

Mesmo quando a APLV é tratada, a criança pode enfrentar dificuldades de crescimento e outras consequências nutricionais. Isso porque a dieta de exclusão pode ser rígida e, portanto, deixá-la em risco de não ingerir alimentos essenciais para o seu desenvolvimento.

As crianças em geral podem se tornar seletivas e comer em pouca quantidade, variedade e qualidade. Quando têm APLV, os riscos disso acontecer podem ser maiores, já que ela terá de cortar da dieta vários alimentos que provavelmente gosta e está acostumada a comer.

Além disso, leite de vaca e derivados devem ser substituídos corretamente na dieta do seu filho. Muitas vezes, a biodisponibilidade de nutrientes em substitutos do leite não é suficiente durante o crescimento. Por isso, a importância de seguir as instruções do médico na adequação da dieta.

Quando a dieta de exclusão não é adotada corretamente, portanto, há dois riscos principais:

  1. O seu filho terá uma dieta pobre em nutrientes necessários para o seu desenvolvimento
  2. O seu filho irá se tornar ainda mais seletivo e possivelmente comer menos, o que irá prejudicar seu ganho de peso e trazer outras consequências para o seu crescimento e aporte de nutrientes

A importância do cálcio

A deficiência de cálcio é uma das principais consequências da dieta de exclusão mal gerenciada. Segundo um estudo publicado em 2017, a exclusão do leite e derivados da dieta pode impactar no crescimento e aporte de micronutrientes, destacando-se a carência de cálcio e vitamina D.

Além disso, de acordo com a literatura utilizada, quando as crianças com APLV em dieta de exclusão não recebem a suplementação adequada, há maior risco de não atingirem as recomendações proteicas necessárias. Como consequência, podem sofrer com ganho de peso insuficiente, raquitismo e baixa concentração de albumina no corpo, responsável pela construção de músculos e tecidos. A carência de cálcio e vitamina D também está associada à baixa densidade mineral óssea e à baixa massa óssea, o que pode gerar fraturas em casos extremos.

Além do cálcio, minerais como ferro e zinco também são essenciais na infância e, também nestes casos, é o leite a principal fonte.

O olhar nutricional adequado

Contornar os sintomas da APLV, portanto, não é suficiente para garantir a boa saúde e desenvolvimento. O olhar nutricional durante o tratamento é fundamental, adotando a dieta adequada. Afinal, pelo menos 30% das necessidades nutricionais da criança devem vir do leite. Na exclusão dele, é preciso sempre consultar o médico.

É o "olhar nutricional" deste profissional que vai considerar todos os nutrientes essenciais para o desenvolvimento. Isso significa oferecer um alimento que de fato a criança consuma, que de fato seja rico em nutrientes, que de fato a criança consiga consumir em volume satisfatório. É ter a certeza de que de fato a criança tem tudo que precisa para atingir seu maior potencial.

Bibliografia: Marcello Giovannini et al. - Nutritional management and follow up of infants and children with food allergy: Italian Society of Pediatric Nutrition/Italian Society of Pediatric Allergy and Immunology Task Force Position Statement; Skypala IJ et al. - Nutritional Issues in Food Allergy, Seinman H. - Nutritional implications of food allergies, Harshna Mehta et al - Growth and Nutritional Concerns in Children with Food Allergy, Maryanne Rose Avelar Pimentel Vila Nova - Alergia à Proteína do Leite de Vaca e Risco de Carências Nutricionais em Crianças

RECEITA EM DESTAQUE:

Mini pizza

Mini pizza