Para pais

Cuidados com as bebidas de soja na alimentação infantil

Cuidados com as bebidas de soja na alimentação infantil

10/04/2015

Alimentos feitos à base de proteína soja estão em todo lugar - leite de soja, iogurte de soja, carne de soja, entre outros. Além de ser um alimento saudável, acredita-se que a soja possa prevenir e combater diversas doenças. No entanto, especialistas alertam que nem tudo que é bom para os adultos é recomendado para os bebês, pois esses têm necessidades nutricionais específicas. Para esclarecer essa dúvida, o gastroenterologista e nutrólogo, Dr. José Vicente Noronha Spolidoro, professor do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da PUCRS, explica os mitos que envolvem o uso da soja na alimentação infantil.

1. O que é mais indicado para o bebê: leite de vaca ou bebidas de soja?

Resposta: Nenhum dos dois. Isso porque a Organização Mundial de Saúde recomenda que o bebê receba exclusivamente o leite materno até os seis meses de idade. Após esse período, o leite materno deve ser complementado com outros alimentos. No entanto, o leite de vaca não é considerado pela Sociedade Brasileira de Pediatria apropriado para crianças menores de um ano, pois contém nutrientes em quantidades inadequadas para o desenvolvimento do bebê como: pouco carboidrato, muita proteína que compromete a digestão, alta taxa de sódio que contribui para a sobrecarga dos rins, baixos níveis de vitaminas D, E e C e quantidade insuficiente de ferro e zinco. Dessa forma, tanto o leite de vaca quanto bebidas de soja são recomendados para crianças maiores de dois anos de idade, mas é importante ressaltar que bebidas de soja contêm quantidade insuficiente de cálcio, ao contrário do leite de vaca.

2. Qual a diferença entre fórmula infantil de soja e o extrato de soja, popularmente conhecido como bebida de soja?

Resposta: Indicada sob prescrição médica, a fórmula de soja contém proteína isolada de soja e recebe adição de outros nutrientes essenciais para o desenvolvimento do bebê, tornando-se nutricionalmente completa. Além disso, essas fórmulas são isentas de lactose (açúcar presente no leite) e sacarose, sendo indicadas para casos de intolerância à lactose - muito rara no primeiro ano de vida, pois nessa idade, a intolerância ao leite é definida como alergia à proteína do leite de vaca - ou em situações nas quais for necessário retirar o leite de vaca da dieta. Já o extrato de soja é obtido a partir de grãos de soja e apresenta deficiências de certos nutrientes para o desenvolvimento do bebê como gorduras, cálcio, carboidrato, além de não conter a metionina, aminoácido responsável pela redução dos níveis de colesterol no sangue e na remoção de restos tóxicos do fígado.

3. A partir de qual idade a mãe pode oferecer bebida de soja, iogurte e outros derivados do grão ao bebê?

Resposta: De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, produtos à base de soja são indicados para crianças maiores, adolescentes e adultos, mas não para bebês ou crianças com idade inferior a dois anos. Entidades médicas internacionais também não recomendam o uso de produtos à base de soja para substituir o leite materno ou o leite de vaca. Antes de um ano de idade, o extrato de soja pode causar alergia e deficiência nutricional no bebê. Já as fórmulas infantis de soja podem ser usadas no primeiro ano de vida de acordo com a orientação do pediatra.

4. E no caso das crianças com alergia ao leite de vaca? O leite de soja é indicado?

Resposta: A alergia à proteína do leite de vaca é responsável por 90% dos casos de alergia alimentar no primeiro ano de vida e pode ocorrer nos primeiros três anos de vida. É uma reação do sistema imunológico do bebê à proteína do leite, gerada pelo consumo de fórmulas infantis à base de proteína do leite de vaca ou em lactentes com amamentação exclusiva devido ao leite de vaca consumido pela mãe e transmitido ao bebê pelo leite materno. Como o intestino e o sistema imunológico do bebê ainda são imaturos, ele reconhece a proteína do leite de vaca como um corpo estranho e produz anticorpos contra essa proteína, provocando problemas gastrintestinais (diarréia com ou sem sangue, constipação, náuseas e vômitos), respiratórios (asma, rinite e chiado no peito) e na pele (manchas vermelhas, lesões nas dobras e coceiras). Nesses casos, o tratamento exige a exclusão total do leite de vaca e derivados da dieta, pois quantidades mínimas desta proteína podem desencadear reações alérgicas sérias. Dessa maneira, as fórmulas à base de proteína de soja não são indicadas para o tratamento da alergia à proteína do leite de vaca, pois também contém proteínas potencialmente alergênicas. Um dado importante é que metade dos bebês que tem alergia à proteína do leite de vaca sofre com alergia à proteína de soja. Uma das alternativas que o médico pode indicar para o tratamento é a substituição do leite por fórmulas infantis especiais à base de proteínas extensamente hidrolisadas (nesse processo a proteína é fragmentada e tem menor chance de causar a reação alérgica) ou fórmula especial composta de aminoácidos livres.

5. Uma criança com intolerância à lactose pode consumir bebida de soja?

Resposta: Sim. A intolerância à lactose acontece, geralmente, em crianças maiores (a partir da fase pré-escolar), adolescentes e adultos, caracterizando-se pela dificuldade do intestino em digerir o açúcar do leite (lactose). Isso ocorre devido à falta ou deficiência da lactase, enzima que ajuda o organismo a digerir e absorver o açúcar do leite. Os sintomas mais frequentes são diarréia, cólicas, distensão abdominal, náuseas, vômitos. O tratamento requer orientação nutricional com produtos sem lactose como é o caso da bebida de soja.

Intolerância à lactose Alergia ao leite de vaca
Nas crianças com intolerância à lactose, são toleradas a ingestão de quantidades limitadas de leite e seus derivados. O consumo é indicado para garantir o atendimento às recomendações de cálcio, fósforo, magnésio e vitaminas. Também se recomenda o consumo de produtos sem lactose No caso das crianças com diagnóstico de alergia ao leite de vaca, deve-se fazer a exclusão completa do leite de vaca e seus derivados, além de todos os alimentos preparados com leite. Além disso, não se deve consumir alimentos industrializados que contenham na rotulagem: caseína, caseinato e proteínas do soro, substâncias que indicam a presença da proteína do leite de vaca.

(Fonte: Redação do site Vya Estelar www2.uol.com.br/vyaestelar/bebidas_de_soja.htm )

voltar

ASSUNTOS RELACIONADOS:

Agora todo mundo tem APLV e refluxo?

Agora todo mundo tem APLV e refluxo?

A alergia alimentar e o fator nutricional

A alergia alimentar e o fator nutricional

RECEITA EM DESTAQUE:

Esfiha

Esfiha